Buscar
  • Gustavo Dudzeviciene

Eventos e o momento atual



Semanalmente falo sobre o mundo dos casamentos e tento ajudar, com a minha experiência de mercado, os noivos que embarcam nesse delicioso universo.

Porém, esse amplo mundo mudou nos últimos meses.

Os impactos da pandemia da COVID-19, na realidade diária das pessoas que dependem exclusivamente dos eventos, é assustador. Após diversas conversas com os mais diversos parceiros de mercado e noivos, resolvi falar sobre a minha visão desse momento atual.


No início dessa pandemia, muito se comentou na internet do impacto para os casais sobre as mudanças de data para o segundo semestre. Os sábados ainda disponíveis, envio de comunicados aos convidados, novos convites, reorganizar os fornecedores etc.  


Porém, com as notícias de que as recomendações da OMS, de evitar aglomerações (como eventos com público), irão perdurar possivelmente até meados de setembro desse ano, muitas datas estão sendo remarcadas pela segunda vez, mas para 2021.


Os locais de eventos têm suas datas reservadas, pela maioria dos casais, com aproximadamente 12 meses de antecedência. Portanto, a maior parte das datas de 2020,foram fechadas em 2019, e as datas de 2021 foram fechadas no início desse ano. Ainda não houve tempo hábil para lotar as datas de 2021 e ainda existem chances para as segundas remarcações dos casais.


Contudo, isso traz um sinal preocupante. Os eventos sociais, como os casamentos, devem ter seus custos pagos aos fornecedores até a data do evento (o mercado funcionava dessa forma). A maior parte das empresas irá gastar na produção de seus produtos e serviços muito próximo ao evento (de dois meses a uma semana). Se a empresa não tiver esse dinheiro reservado, pode correr o risco de não ter como custear o produto vendido, ou ainda cair a qualidade.


Com o mercado de eventos sociais praticamente parado, sem novas vendas, o valor que muitas empresas têm reservado para cumprir os contratos, pode ser usado para manter a empresa em pé.


Alguns casais que estavam organizando e pagando suas festas de casamento tiveram a renda diminuída, seja pela queda em seus negócios, diminuição salarial ou até por demissão. Alguns estão renegociando os contratos para novas datas para ter mais tempo de quitar as contas oriundas de suas futuras festas.


Vale lembrar que o mercado de eventos sociais teve um choque muito grande com a crise econômica iniciada em 2014 (sentida pela maior parte do mercado em 2015). As empresas estavam voltando a respirar no meio de 2019 e algumas começando a fazer caixa no final do ano passado, começo deste ano. Sem muito fôlego e com o giro de caixaparado (sem novas vendas), o jeito é aceitar as remarcações de casamentos sem custos extras aos clientes,dispensar funcionários, pegar empréstimos altos, fechar escritórios e tentar manter o negócio vivo.


Algumas poucas empresas, com situação econômica estável, têm feito ações como Lives no Instagram emformato de entrevistas (algumas enriquecedoras e outras nem tanto) com profissionais de outras áreas ou entre pessoas do próprio mercado de eventos. Lives também no formato de shows super animados que os Djs de casamento têm feito em seus galpões, varandas e casas.


Melhor que todas essas distrações, que deixam a quarentena mais informativa e gostosa, é ver empresas se unindo e ajudando, em especial, os produtores de todos os segmentos de eventos. Desde os que coordenam a montagem, os garçons, assistentes de assessoria, recepcionistas, copeiras, motoristas de caminhões de logística, mão de obra de cenografia, camareiros de toilettes, eletricista e tantos outros que fazem as nossas criações acontecerem.


Ninguém gosta de demitir um funcionário de “anos de casa”, mas muitas vezes é necessário para que a empresa não feche e que ainda haja caixa para realização dos eventos futuros. Com isso, ela pode ganhar folego para recontratações.

Adoraria saber o que vai acontecer, conseguir prever algo, mas essa pandemia só mostra que não podemos prever o futuro, pois isso só é possível a partir de um modelo pronto. Tudo que menos temos nesse momento é um modelo de como tudo será.


De uma coisa eu sei: após esse Isolamento (total ou parcial) os casamentos vão voltar, os casais vão ficar noivos, as pessoas vão fazer aniversários e o brasileiro sempre vai encontrar um motivo para comemorar. Só espero que todas as empresas de eventos sociais, corporativos e esportivos sobrevivam para continuar realizando sonhos e criando experiências únicas na vida das pessoas junto com a GUSTAVO.D e tantas outras empresas.


Até semana que vem.


Tchau Tchau!!!

41 visualizações

©2020 by Gustavo D. - Party Designer